Leitura critica: Além da didática

Os docentes têm aproveitado o cronograma letivo para incluir no aprendizado novos conhecimentos.
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A nova escola

A educação no Brasil tem apresentado novos modelos de didática. Os docentes têm aproveitado o cronograma letivo para incluir no aprendizado novos conhecimentos. O resultado disso tem trazido para as salas de aulas metodologias aplicáveis não só para as aulas, mas , para a vida do cidadão que está em formação.

Atualmente em Rio Verde, escolas públicas têm apresentados espécies de dinâmicas que estimulam o interesse de participar nos alunos. No entanto, isso acontece porque os professor que foge do convencional, sem fugir do cronograma e da disciplina.

Contudo, é possível ver aulas de português e redação mini concursos internos de poemas, cordéis, contos e até livros em grupo, o que estimula o aprendizado em diversas áreas da temática.

Entretanto, nas aulas de matemática, as discentes participam de Olimpíadas de Matemáticas, na feita de ciências fazem pequenos experimentos. Porém, é pertinente estimular esse método em todas as matérias, o aproveitamento é sempre positivo.

A metodologia

A metodologia aplicada nessas atividades pode ter várias nomenclaturas, mas, de fato trata-se do ensino com uma comunicação mais ampla, em que o professor deixa de ser apenas o mediador para ser estimulado também.

O docente de hoje, deve está além da didática convencional, deve ser ouvinte. O novo professor precisa ser um comunicador, um educomunicador. Mas, o que é um educomunicador?

Então, esse termo foi apresentado por Mário Kaplun, e tem o objetivo de expressar a função do novo educador. O educomunicador é aquele que além de observar e comunicar, tem como meta estimular cidadãos pensantes, é aquele que provoca o intelecto, que busca além do óbvio. A metodologia utilizada pode ser epistelmologica, mas, não se resume a isso, por ser uma atividade que deve estimular o social, o interessante é provocar um cidadão mais participativo.

Por isso, esta metodologia não se resume em salas de aula, o aprendizado precisa sair dos muros da escola. Entretanto, existem projetos sociais, governamentais ou não, que contribuem para essa visão peculiar de mundo. Contudo, estimulando novas vivências sociais, aprendizado híbrido, obtendo assim, uma prática participativa.

A visão de mundo

A leitura crítica de mundo, só é  consistente quando o cidadão pensante sai do óbvio para embarcar em novas possibilidades, e nisso, ele deve analisar todos os lados para só depois tirar conclusões. Por isso, esse método é chamado de educomunicação, que é a inoculação da comunicação com a educação.

Todavia, mesmo com as novas escolas e novos métodos, a prática ainda é considerada um embrião no Brasil, e em Rio Verde, o termo ainda não é muito conhecido. No entanto, há um site de origem em Rio verde, gerenciado pela jornalista Patrícia Duplat.

O site trata com ênfase sobre educomunicação e suas práticas, tem uma visão peculiar sobre o assunto. A Estante da Comunicação tem origem recente, mas, segundo a jornalista, tem planos a longo prazo. E para isso, ela conta com o auxilio e conhecimento do Wallis Justino que é especialista em marketing digital.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
Patrícia Duplat Patrícia
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×