Mato Grosso investe em projetos sociais contra drogas

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Projetos sociais previnem
abuso de álcool, drogas e
prática de suicídio entre estudantes
de Mato Grosso

Assessoria | PJC-MT

Mais de 2,4 mil alunos do ensino fundamental e médio participaram de ações dos projetos sociais da Polícia Judiciária Civil, De Cara Limpa Contra as Drogas, De Bem Com a Vida e Rede Digital Pela Paz, realizadas no município de Poconé (104 km ao Sul). As atividades trabalharam temas como álcool, drogas, bullying e prevenção ao suicídio.

O trabalho desenvolvido em parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Poconé (SMS) e Coordenadoria do Programa Saúde na Escola realizou mais de 22 ações que atenderam professores e alunos das Escolas, Marechal Rondon, Frei Carlos, Maria Helena, Juscelino Kubitschek, General Caetano, Antônio João, Eucaris, São Francisco (distrito de Cangas) e Nossa Senhora Aparecida (distrito de Chumbo), em Poconé.

As ações tiveram como foco o consumo de álcool e outras drogas relacionados à temática da violência. Outro tema abordado, associado à Campanha Setembro Amarelo, foi a prevenção ao suicídio. Os temas visam a promoção da saúde às crianças e adolescentes, assim como a redução dos fatores de riscos e o fortalecimento de meios de proteção, buscando minimizar vulnerabilidades.

O trabalho realizado durante duas semanas tinha o objetivo de realizar o enfrentamento coletivo de problemas sociais causados pelo uso de drogas lícitas e ilícitas. As ações foram executadas em rede, contando também com a presença de dois membros do (AA) Alcoólicos Anônimos do município de Poconé.

Nas atividades, foram entregues aos alunos gibis do Programa “De cara limpa contra as drogas” e a cartilha “Curta a vida sem nenhuma dose de arrependimento”. Para o gerente do projeto De Bem Com a Vida, investigador Ademar Torres de Almeida, infelizmente para determinados adolescentes o consumo de álcool é algo visto como orgulho e uma forma de demonstrar independência ou maturidade.

“Os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo, colocando em risco o desempenho escolar e se envolvendo em mais acidentes. Se quisermos ter uma sociedade menos violenta e proteger o futuro das nossas crianças, temos que controlar a forma como a nossa sociedade se relaciona com essa substância química produtora de dependência e alteração mental que se chama álcool”, disse.

A gerente do “De Cara Limpa Contra as Drogas”, investigadora Laura Léa, conversou com os jovens sobre outras drogas e falou principalmente sobre a mais comum entre eles na atualidade, o Narguilé.

“Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que os tabacos usados no narguilé, que têm diversas essências, apresentam quatro vezes mais nicotina, 11 vezes mais monóxido de carbono e 100 vezes mais alcatrão do que o cigarro comum. Além disso, segundo a organização, consumir uma rodada no cachimbo é equivalente a fumar 100 cigarros”, destacou a investigadora.

As ações preventivas também contaram com a presença dos profissionais Ítalo Paolo Siqueira e da assistente social, Edilaine Raquel Campos, os quais atuam no Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) de Poconé, que neste mês abordaram a temática da campanha de prevenção ao suicídio “Setembro Amarelo”.

Nas palestras, eles mostraram aos alunos que o suicídio é um problema de saúde pública que normalmente está associado a fatores como depressão, uso de drogas e ainda às questões interpessoais, violência sexual, abusos, violência doméstica e bullying.

“Esses fatores interferem na saúde mental da pessoa, culminando em depressão profunda. Dentre as mais comuns estão o afastamento ou isolamento social, dificuldades de relacionamento na família, desejo de não ir à escola ou trabalhar, aumento no consumo de álcool, drogas ou fármacos, bem como desfazimento de objetos aparentemente de valor sentimental e ainda supostas despedidas”, argumentou a assistente social do CAPS.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×